Pin It

Por Gizella Rodrigues e Lúcio Flávio (Agência Brasília)

Com o avanço de casos de coronavírus confirmados no Distrito Federal, a Secretaria de Saúde atualizou, pela quarta vez em uma semana, o Plano de Contingência elaborado pela pasta para combater o avanço da covid-19 no DF. O documento sistematiza as ações e procedimentos que devem ser adotados como resposta à pandemia.

Entre as mudanças está o atendimento no Aeroporto Internacional de Brasília. Foram acrescentados os voos domésticos ao protocolo, mas os pacientes suspeitos não serão mais levados ao hospital. Segundo a nova versão, se o passageiro for um caso suspeito, mas estiver em bom estado de saúde geral, deverão ser coletadas amostras e encaminhadas ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). O caso será notificado e a pessoa levada para casa em transporte do Corpo de Bombeiros. Se o exame confirmar a doença, o paciente deve permanecer isolado por 14 dias e será monitorado em casa.

Em uma ação preventiva que contou com aparelhos de última geração, Corpo de Bombeiros Militar do DF participaram na última segunda-feira (16) de uma simulação contra a presença do coronavírus no Aeroporto Internacional.

Vestidos com macacões brancos, óculos de proteção, capacetes, luvas e máscaras, militares do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CMBDF) transitaram pelo desembarque de passageiros internacionais.

O trabalho é fruto de uma parceria entre a concessionária Inframérica, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Receita Federal e a Polícia Civil. Consiste em uma simulação que passa a testar, nos próximos dias, equipamentos de última geração capazes de detectar se em um ambiente há pessoas contaminadas com a Covid 19. 

- A medida vai nos ajudar a saber quanto tempo vamos gastar na abordagem dos passageiros, evitando que os transtornos sejam maiores - explicou o tenente-coronel Giancarlo Borges Pedroso, responsável pela operação.

A expectativa é que cerca de cem bombeiros sejam mobilizados quando os trabalhos começarem de fato, o que deve ocorrer nos próximos dias.

- Só estamos precisando da autorização da Anvisa, que é a autoridade sanitária responsável pelo espaço, para agir em todas as aeronaves - ressaltou Pedroso.

Num primeiro momento, será realizada uma triagem dos passageiros de todos os voos internacionais, no embarque e no desembarque, na tentativa de identificar, por meio das câmeras térmicas, alguém com febre. Detectada, essa pessoa será encaminhada imediatamente a um posto médico do aeroporto, onde terá material biológico coletado.