Por Amorim Regato

Taí um programa imperdível para quem gosta de tecnologia e, sobretudo, precisa distrair a criançada em programas de fim de semana. O Sesc Copacabana recebe, até 26 de janeiro, “A biblioteca à noite”, exposição imersiva realizada pelo diretor canadense Robert Lepage e pela Companhia Ex Machina. E vale logo dizer: a entrada é gratuita. Não há tentação maior.

Inspirada no livro de mesmo nome do escritor argentino Alberto Manguel, que foi discípulo do mestre Jorge Luis Borges, a exposição oferece aos visitantes a chance de visitar - virtualmente, claro - dez bibliotecas. Algumas são reais, e todas são fantásticas.

Basta dizer que, em plena Copacabana, poderemos passear pela mítica biblioteca de Alexandria, construída por ordem de Alexandre O Grande no século III a.C., e pelo fundo dos mares, a bordo do mítico Náutilus, do clássico “Vinte mil léguas submarinas”, de Júlio Verne, publicado em 1869. Biblioteca num submarino? Claro. Elas são, afinal, o repositório do conhecimento humano - ou parte dele. Hoje, bastaria um dispositivo conectado à internet, e o Náutilus teria mais espaço para o Capitão Nemo e Cia.

Mas voltemos à exposição. O primeiro espaço reproduz o ambiente de trabalho do próprio Alberto Manguel. Usando óculos de vídeo tridimensional, o público é transportado para uma realidade virtual, explorando a tecnologia de imersão 3D 360 ° VR.

Esse tipo de tecnologia, diga-se, está tomando o mundo do entretenimento e até mesmo do setor corporativo. Não podemos mais ignorá-la. E o cenógrafo responsável pelo evento, Robert Lepage, é um artista multimídia respeitado no mundo. Seu trabalho é uma festa para os sentidos.

Com a imersão 3D, os visitantes vão se sentir em casa - mesmo que estejam interagindo virtualmente com lugares impossíveis de serem visitados. 

Por essas e por outras, a experiência no Sesc Copacabana já se candidata a ser um dos melhores programas do carioca este ano:

- “A biblioteca à noite” possibilita uma experiência singular que ultrapassa as barreiras do espaço e do tempo, aproximando o público de bibliotecas imaginárias e reais de diferentes partes do mundo. Os livros organizados representam o legado cultural de uma sociedade, tradições que se atualizam com o mundo real de cada leitor - destaca Regina Pinho, Diretora Regional do Sesc-RJ.

Além de passear pelos ambientes virtuais, os visitantes poderão, até janeiro, participar de seminários e outras ações integradoras, como shows e saraus poéticos, espetáculos teatrais, oficinas e feiras de troca de livros. Negócio é ficar ligado na programação.

Mas vale o alerta: a visitação ao Sesc Copacabana só poderá ser feita mediante agendamento prévio pelo site https://abibliotecaanoite.sescrio.org.br/agendamento-online/. Portanto, para evitar decepções com a criançada, nada de chegar lá sem a devida confirmação da visita.