Como viajar no tempo faz bem à alma

Fina Estampa mostra uma Barra que todos amamos

Por Cláudio Magnavita *

Nós éramos felizes e não sabíamos! A novela Fina Estampa, gravada em 2011, está fazendo os moradores da Barra reviverem o glamour de uma época dourada na nossa região.

A Barra vivia entorno da própria Barra. Éramos uma ilha, sem metrô, sem ponte estaiada, sem duplicação da Avenida das Américas, sem Transolímpica, sem BRT...
Não tínhamos nada disso e éramos felizes. Estávamos na nossa bolha, com mais segurança, duas entradas e duas saídas. A qualidade de vida que a novela retrata nem parece o Brasil.

Avançamos na mobilidade, mas o Brasil de 2011, retratado na novela, nos traz nostalgia pela situação econômica que vivíamos. Lançamentos imobiliários, novos shoppings, a chegada de grandes restaurantes e grifes, sem falar na epidemia do novo coronavírus que nos deixa em casa e diante de um período que suspiramos de saudade.

As imagens aéreas da Barrinha, sem a ponte estaiada do metrô arrancam suspiros. Como éramos mais unidos. O Barra Alerta com o Kleber Machado, comandando a sociedade civil organizada, menos hotéis, nossas churrascarias... No clube do uísque do Tourão, todo mundo se conhecia e trocava charutos. As revendas de carro batiam todos os recordes de venda. A troca de carro era de ano em ano ou de seis em seis meses para muitos.

A Carvalho Hosken lançava o Península e tínhamos estande de vendas em todos os cantos da cidade.

No Recreio, o Barra Bali subia um prédio por mês. O Recreio Shopping era menor e os lojistas chamavam os clientes pelo nome.

Esta reprise nos leva a uma época em que éramos felizes, muito felizes.

Agora temos tudo que sonhávamos, metrô, mobilidade, Avenida das Américas duplicada, BRT, Parque Olímpico, grandes hotéis ... mas temos algo que não esperávamos: crise econômica, festival de escândalos, legado olímpico abandonado, mercado imobiliário parado, crescimento das milícias nas comunidades, a perda de grandes amigos e agora o coronavírus, Covid-19, deixando todo mundo com medo e trancado em casa.

Assistir Fina Estampa é uma lufada de alegria. É quase uma declaração de amor a nossa região. A Griselda nos traz uma grande lição de moral. A de uma Barra que temos que trazer de volta, um sentimento de comunidade e imagens espetaculares. Não há verba publicitária que pague esta reprise de alto astral que ocorre no horário nobre.

É uma luz que afugenta o baixo astral e nos mostra que vivemos em uma região que todo mundo admira e deseja viver ou visitar.

Ter a novela Fina Estampa em horário nobre é um presente que recebemos. Da mesma forma que a novela teve reflexos positivos na imagem da Barra em 2011, temos agora uma ferramenta que levanta o nosso astral e que nos enche de orgulho. A Barra é nossa!

*Cláudio Magnavita é diretor de redação do Correio da Manhã e do Jornal da Barra.

Rio de Janeiro

Mais Artigos

Economia

Mais Artigos

Internacional

Mais Artigos

Cultura

Mais Artigos

Saúde

Mais Artigos

Política

Mais Artigos

Magnavita

Mais Artigos

Corre nos grupos de WhatsApp dos deputados algumas figurinhas que ajudam a quebrar o azedume. Em uma, Witzel coloca a faixa de governador em Tristão e, em outra, engraxa os sapatos do sócio.

Mais Notícias

Mais Artigos

A Prefeitura do Rio fez um verdadeiro milagre ao comprar 306 respiradores e 500 monitores da China para ajudar os hospitais municipais no combate ao coronavírus

O Clube Militar repudia enfaticamente o despacho exarado ontem pelo Ministro Celso de Mello, do STF, no inquérito que apura denúncias do Ex-Ministro da Justiça e Segurança Pública contra o...

Foi uma tentativa infeliz de demonstração de poder, totalmente injustificável e inaceitável, a produção por parte do ministro Celso de Mello de um documento jurídico amaçando de serem conduzidos...