Coluna Magnavita: Quase presidente da Alerj

O deputado André Corrêa estava pronto para assumir a presidência da Alerj, quando foi abatido injustamente pela inclusão do seu nome na operação Furna da Onça, por um erro de lançamento do Banco Itaú. Ele trabalha para, finalmente, assumir o Legislativo estadual na próxima eleição, em 2023, o que explica o seu dedo nas articulações que incentivaram o confronto com o atual presidente (e seu xará), André Ceciliano. Corrêa foi o único deputado levado por Castro na sua recente viagem à Europa.