Coluna Magnavita: Epílogo do Lagoon envolve mistura de público e privado na área de eventos da Prefeitura

 

A mistura do público e privado na Subsecretaria de Eventos da Prefeitura, envolvendo a Varanda Lagoon, explica bem as razões da saída de Antonia Leite Barbosa da pasta. Ela não pactuava com esta mescla de produtores de eventos e gestão pública. O assessor especial da Subsecretaria de Eventos, Conrado Rodrigues, sócio do Varanda Lagoon, pilota o restaurante Um Gastronomia.

O prefeito Eduardo Paes foi implacável ao ler a nota da coluna sobre as irregularidades na operação de gastronomia do Lagoon. Mandou mensagem para o Coronel Leandro Monteiro, comandante do Corpo de Bombeiros, e depois ligou para reforçar que pode interditar as festas de não tiverem alvará.

Dois nomes surgem como satélites de Rafael Liporace, o onipresente operador do Varanda Lagoon. O rapaz é sócio oficial de Jacob Barata na Camarote Via Eventos e tem relações estreitas com Ronnie Aguiar, o lusitano assessor do Eduardo Paes.

Rafael Liporace adora lugares minados. Há dois anos, apostou no Rio Beach Club na Barra, também para shows de carnaval e foi denunciado pelo Ruben Berta no seu blog. Agora, anuncia um programação de shows para o carnaval, com Mumuzinho, Xande de Pilares, entre outras “surpresas”. Como não tem licença dos bombeiros, os shows não devem acontecer.