Coluna Magnavita: Desembargador Wagner Cinelli lança livro sobre violência doméstica na Amaerj

O desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) Wagner Cinelli, lançou, em noite de autógrafos realizada na Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amarej), nesta segunda-feira (21), o livro “Metendo a Colher”. A obra traz uma coletânea de artigos escritos pelo magistrado sobre violência doméstica e familiar contra a mulher.

Autor de um curta de animação e um livro chamados “Sobre ela”, que também abordam o tema, o desembargador decidiu continuar tratando, em suas obras, sobre violência de gênero, principalmente após a triste morte de uma colega magistrada.

“Poucos dias depois (de lançar o livro ‘Sobre Ela’) houve um fato trágico, o assassinato da juíza Viviane Amaral. Eu a conhecia, e aquilo me tocou de um jeito mais forte. Qualquer feminicídio é drástico”, disse o magistrado.

Corregedor TJ-RJ, des. Ricardo Cardozo e autor Wagner Cinelli

“Metendo a colher” reúne artigos, de autoria do desembargador, que foram publicados em jornais entre janeiro de 2021 e janeiro deste ano. O livro também contém resenhas e textos de outros escritores sobre obras de Cinelli, além de dois poemas.

“A gente usa o ditado antigo ‘em briga de marido e mulher não se mete a colher’ para dizer exatamente o contrário: a gente tem que participar, meter a colher. Não podemos ser omissos nunca em qualquer situação que envolver desigualdade ou violência. Esta não é uma briga da mulher, e sim da sociedade”, acredita.

Estiveram no lançamento o corregedor-geral da Justiça, desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo; o 2º e 3º vice-presidentes do TJ-RJ, desembargadores Marcus Henrique Pinto Basílio e Edson Aguiar de Vasconcellos; a presidente da Amaerj, juíza Eunice Haddad, a presidente do Conselho Deliberativo e Fiscal da Amaerj, desembargadora Katya Monnerat; e a diretora de Assistência e Previdência da Associação, desembargadora Regina Lúcia Passos.