Coluna Magnavita: Sandálias da humildade

Com o apoio do Cleiton Rodrigues, o governador Wilson Witzel tem se dedicado a construção de pontes e tentar restaurar as relações de conflito. A reabertura de diálogo sinaliza o surgimento de um novo personagem, com menos soberba e disposto a ouvir, o que era raro.

O ano de 2020 tem sido trágico para WW, bem diferente do primeiro ano, 2019, em que surfou como novidade, até romper com Jair Bolsonaro e só pensar na Presidência.  Hoje, o clima em torno do governador são dois: faxina e reconstruir relacionamentos explodidos pela soberba e coação.