Coluna Magnavita: Comte na Educação e Carvalho na saúde

Por Cláudio Magnavita*

O governador em exercício Cláudio Castro confirmou o médico Carlos Alberto Chaves de Carvalho para o cargo de secretário de Saúde, no lugar de Alex Bousquet, e o professor Comte Bittencourt para a secretaria de Educação. As nomeações serão publicadas em edição extra do Diário Oficial desta sexta-feira (25/09).  

- Agradeço a dedicação de Bousquet à frente da Secretaria de Saúde, durante um dos períodos mais difíceis da história do nosso estado. Seu trabalho não será esquecido – afirmou Cláudio Castro, aproveitando para dar as boas-vindas a Carlos Alberto no Governo do Estado. Sobre a mudança na Seeduc, declarou. 

Conforme noticiado em primeira mão pelo Correio da Manhã, o novo secretário de Educação é o ex-deputado Comte Bittencourt. O prazo solicitado foi para promover alteração societária nas empresas de educação que participa e para fazer um raio X na pasta. Ele presidiu, por várias legislaturas, a Comissão de Educação da Alerj e é um especialista do setor.

- Comte tem uma brilhante trajetória e contribuição relevante na área da educação. Ele chega à nossa equipe para somar com sua expertise e perfil técnico, disse Castro.

Perfil dos novos secretários

Por quase uma década, Carlos Alberto Chaves de Carvalho foi supervisor do Gate-Saúde, Grupo de Apoio Técnico ao Ministério Público do Rio de Janeiro. Formado pela UFF e com MBA em Gestão de Saúde pela FGV, o médico pneumologista também foi responsável por reestruturar e dirigir as mais importantes unidades de saúde do estado, como os hospitais Getúlio Vargas, Adão Pereira Nunes, Eduardo Rabelo e João Batista Cáffaro.

Comte Bittencourt é professor, foi secretário de Educação, vice-prefeito do município de Niterói e exerceu quatro mandatos na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, onde presidiu, de 2004 a 2018, a Comissão de Educação da Casa. Começou a vida política em Niterói, em 1992, cumprindo três mandatos de vereador até chegar à presidência da Câmara Municipal.

*Cláudio Magnavita é diretor de redação do Correio da Manhã