Coluna Magnavita: Silêncio cúmplice

Repercute o editorial do Jornal Correio da Manhã sobre o silêncio da Fecomércio Rio quanto aos problemas causados pelo seu ex-presidente Orlando Diniz.

Especialistas em Compliance afirmam que a postura da entidade deveria ser diferente. Ao invés de repudiar publicamente os malfeitos de Diniz e apresentar um documento público de boas práticas e transparência, a entidade age como se nada tivesse ocorrido.

O silêncio de Antônio Florêncio de Queiroz pode ser atribuído como uma tática para não irritar muito o seu antecessor, autor das delações mais explosivas.