Coluna Magnavita: Fura-filas: Polícia apura que Rio Pax vacinou mais de 120

A Delegacia de Combate à Corrupção está investigando a denúncia do Correio da Manhã sobre a farra da vacinação dos funcionários da Rio Pax, concessionária de alguns cemitérios do Rio.

nPelas normas do Ministério da Saúde, só deveriam ser vacinados os coveiros e empregados que trabalham na manipulação e transporte de corpos. Usando uma correspondência milagrosa, funcionários administrativos, do comercial e até membros da diretoria se apresentaram em vários postos da Prefeitura, conseguindo, de forma irregular, a tão desejada vacina contra a covid-19.

Escudando-se na lei de informação, a concessionária foi evasiva e só mandou para a Delegacia os nomes de alguns funcionários em uma lista parcial que chegou a 120 nomes. Só no posto Maria Augusta Estrella foram 78 pessoas. Foi lá que identificaram a anomalia. O delegado Thales Nogueira Braga está passando um pente fino nos casos de fura-filas, como a exitosa operação em Niterói e, agora, na Rio Pax.

Coluna Magnavita