Coluna Magnavita: Cartas na mesa

Metralhadora Witzel

A decisão de WW é sair atirando. Já deu entrevistas a revistas semanais e quer falar nas televisões para mirar a artilharia no governador Cláudio Castro e no presidente da Alerj, André Ceciliano. O único que ele protege é o pastor Everaldo Pereira.

Renúncia na mesa

Voltou a crescer a hipótese de renúncia do governador Wilson Witzel como forma de manter os seus direitos políticos. São duas as penas: perda do mandato e dos direitos políticos. O processo pode seguir, sem clima de acordo.

Ideia agora agrada

A primeira vez em que se falou da renúncia como estratégia de defesa, a tese foi rechaçada com grosseria por WW. Com a corda no pescoço, a situação volta a ser encarada como hipótese.