Pin It

Por Affonso Nunes

O início de carreira meteórico de Billie Eilish foi carimbado na na 62ª edição do Grammy. A cantora e compositora americana, de 18 anos, foi a grande vencedora da maior premiação da música americana – apontada por muitos como o Oscar da música – ao levar para casa seis das 84 estatuetas do desejado gramofone distribuídas no último domingo (26), no Staples Center, em Los Angeles (EUA).

Artista mais jovem a ser indicada às quatro grandes categorias do Grammy, Eilish também é a mais jovem a ganhar todas elas de uma vez. Além disso, a cantora americana é a primeira a levar os quatro prêmios principais em uma mesma edição do Grammy desde 1981, quando Christopher Cross realizou o feito. A cantora britânica Adele já conseguiu a façanha de ganhar os quatro prêmios, mas em anos diferentes.

Elisish desbancou a cantora americana Lizzo, a artista com mais indicações (oito), incluindo as categorias mais importantes como gravação do ano e disco do ano. A novata faturou álbum do ano, melhor álbum de pop vocal, artista revelação, gravação do ano e música do ano, as duas últimas com a canção “Bad guy”. Além disso, foi premiada indiretamente com a escolha de seu irmão, Finneas O’Connor, como o melhor produtor não clássico do ano.

Lizzo, acabou levando apenas três dos oito prêmios aos quais concorria – melhor performance solo de pop, melhor álbum contemporâneo urbano e melhor performance de R&B tradicional. Lil Nas X, outro que chegou com seis indicações à premiação, saiu com dois troféus. Um deles de melhor videoclipe e o outro de melhor performance pop em duo ou grupo.

Além da entrega de prêmios, a festa, apresentada por Alicia Keys, reuniu shows de nomes como Billy Ray Cyrus com Lil Nas X e participação da big band sul-coreana BTS, além de Aerosmith e Jonas Brothers.

Houve ainda a volta de Demi Lovato aos palcos e apresentações de Lizzo, Diplo, Ariana Grande, Rosalía e H.E.R.

Dois artistas brasileiros – João Gilberto e Beth Carvalho – foram lembrados na homenagem que os organizadores do Grammy fazem aos músicos que faleceram no ano anterior. Ao som da eterna “Desafinado” (Tom Jobim), o criador da bossa nova foi quem recebeu destaque maior durante a projeção de imagens dos mortos nem telão. João Gilberto morreu em julho do ano passado, aos 88 anos. Já Beth  Carvalho, a madrinha do samba, morreu meses antes, em abril do ano passado, aos 72 anos, de infecção generalizada.