Pin It

Por Affonso Nunes

Após uma elogiada temporada em 2019, o Theatro Municipal entra em 2020 com uma programação diversificada e que cabe em qualquer bolso. Até dezembro, serão encenadas oito óperas, quatro balés e diversos concertos com a Orquestra Sinfônica do TMRJ — vários deles com preços especiais como na série “Domingo a R$1” e estreias a R$ 10.

A abertura da temporada lírica, no próximo domingo (22), trará joias do melodrama realista: “Il Tabarro”, de Giacomo Puccini, e a raríssima “La vida breve”, do espanhol Manuel De Falla. No elenco, nomes como Eliane Coelho, Eric Herrero, Leonardo Neiva, além de Coro e Orquestra do Municipal sob a regência de Ira Levin. O concerto terá tratamento cênico multimídia assinado pela carioca Julianna Santos. Ingressos a R$ 10, na estreia. A segunda récita será em 27 de março.

Ópera em um ato, “Il Tibarro” baseou-se na peça “La Houppelande”, de Didier Gold. É ambientada em uma barca ancorada às margens do rio Sena, em Paris, na primeira década do século XX. Conta a história da paixão adúltera de Giorgetta, esposa de Michele, por Luigi, um estivador. Morte e vingança espreitam os protagonistas em um cenário de pobreza e cobiça. Estreou em dezembro de 1918 no Metropolitan Opera, em Nova York. No Brasil, foi encenada pouquíssimas vezes, sendo a última em 1995.

Já “La vida breve” se passa no distrito cigano de Albaicín, em Granada, Espanha. A paixão da cigana Salud pelo jovem e rico Paco encontrará a oposição das famílias e as barreiras culturais e sociais, em mais uma trágica história de amor no alvorecer do século 20. Com dois atos e quatro cenas, foi escrita entre 1904 e 1905, com estreia mundial em 1913. No Brasil foi apresentada uma única vez, justamente no Theatro Municipal, na temporada lírica de 1923.

O universo espanhol está ainda presente no mês de abril com um dos grandes destaques da temporada lírica brasileira em 2020: a ópera “Yerma”, de Villa-Lobos, pela primeira vez no Municipal em sua versão completa. Serão cinco oportunidades para conhecer esta apresentação inspirada na obra teatral homônima de Federico García Lorca (amigo e colaborador de Manuel de Falla). A ópera “Yerma” contará com Coro, Orquestra e Balé do TMRJ, além de destacados solistas convidados. Entre eles, Macarena Valenzuela (o mesmo que interpretou “Tosca” no Municipal na temporada de 2017), Eric Herrero, Luísa Francesconi e Carol Faria. Com regência de Ira Levin, o espetáculo será o primeiro a integrar a série de música brasileira do Ministério das Relações Exteriores. Concepção e direção cênica são de André Heller-Lopes.

- Encenar “Yerma” é muito mais do que um dever patriótico. É uma dívida com os compositores brasileiros que pretendo que o Municipal possa resgatar ao longo dos próximos anos: é sonho que trago comigo há vários anos. É uma trama atualíssima e repleta de mistérios e ângulos a serem descobertos, muito além do que inicialmente poderíamos perceber; é justamente a música absolutamente única e impactante de Villa-Lobos que nos faz descobrir os segredos da obra. Acho que é um título imperdível para amantes da ópera e do teatro - comenta Andre Heller-Lopes, diretor artístico do Municipal.

No mês de maio, a música de Villa-Lobos ainda se faz presente em mais um espetáculo: nos dias 9 e 17, no concerto sinfônico “Horizontes de Terra e Mar”, reunindo o “Choros nº10” com a exótica “Tragédia de Salomé”, do francês Florent Schmitt (a única apresentação da obra no Rio, em 1913, foi regida pelo próprio Villa-Lobos, amigo de Schmitt). Coro e Orquestra do Municipal participam também deste concerto, que traz ainda a obra “Horizontes”, do carioca Ronaldo Miranda, e o “Poema do amor e do mar”, de Chausson. As apresentações contarão com as solistas Rosana Lamosa, dia 09, e Michelle Menezes, dia 17, este dentro da série “Domingo a R$ 1”.

A temporada do balé começa no dia 22 de maio, com o clássico “O lago dos cisnes”, de Tchaikovsky, e vai contar com o Balé e Orquestra do Municipal, sob a regência de Tobias Volkmann. Serão diversas apresentações na programação.

Em 13 de junho, realiza-se o segundo programa da série “Grandes Vozes no Rio de Janeiro” com a estrela Pretty Yende, soprano sul-africano que recentemente arrebatou a crítica de Paris com sua interpretação de “La traviata”. Ela canta com a OSTM, sob o comando de Ira Levin. Outra grande voz aporta no Rio no dia 27 de junho, o soprano dramático português Elisabete Matos, que virá pela primeira vez ao Brasil, apresentando-se num Concerto de Gala, fruto da parceria com o Instituto Camões.

Fechando a temporada do primeiro semestre em julho, e dentro das comemorações do aniversário de 111 anos do Theatro, a popular opereta de Franz Lehár “A viúva alegre”. O espetáculo, produção original do Municipal de SP, tem direção cênica de Miguel Falabella, e marca os 150 anos de nascimento do compositor austríaco. A regência será de de Priscila Bomfim. Destaque do elenco para Eliane Coelho e Claudia Riccitelli no papel principal, tendo Homero Velho como seu par; já o casal picante de Valentina e Camilo serão interpretados por Flavia Fernandes, Lina Mendes e Giovanni Tristacci. Um grande elenco de solistas junta-se ao coro e balé do TMRJ num espetáculo de cores fortes.

- Temos como objetivo a diversidade de repertórios, oferecendo óperas que nunca foram ouvidas no Rio, como a “Yerma” de Villa-Lobos na íntegra. E vamos trazer de volta favoritos populares da ópera e do balé - comenta o regente Ira Levin.

Serviço

Theatro Municipal (Praça Floriano, s/nº - Cinelândia) 22/3, às 17h, e 27/3, às 20h. Ingressos: 22/3 (R$ 10); 27/3 - frisa/camarote (R$ 360), plateia /balcão nobre (R$ 60), balcão superior (R$ 40), balcão superior lateral (R$ 20), galeria central (R$ 20), galeria lateral (R$ 10).