Banco Central lança nova cédula de R$ 200 no final de agosto

Para tentar atender a maior demanda de papel-moeda na pandemia do novo coronavírus, o CMN (Conselho Monetário Nacional) aprovou, nesta quarta-feira (29), o lançamento da cédula de R$ 200, que terá como personagem o lobo-guará.

A nova cédula deverá entrar em circulação a partir do final de agosto. A previsão é que sejam impressas 450 milhões das novas cédulas em 2020, o equivalente a R$ 90 bilhões.

O Banco Central gastará R$ 113,8 milhões a mais do que o previsto no orçamento anual para a produção das novas notas e para a impressão de mais 170 milhões de cédulas de R$ 100.

"Com a pandemia, observamos o aumento do entesouramento [quando o dinheiro fica parado na mão das pessoas]. Com isso, estamos nos antecipando para atender demandas futuras", disse a diretora de Administração do BC, Carolina Barros.

Segundo ela, as notas não entrarão todas em circulação de uma vez, mas de forma gradual. "Vamos observar a necessidade de papel-moeda e como serão as primeiras entregas."

A nota de R$ 200 está em fase final de testes de impressão. A diretora afirmou que o BC já estudava criar a cédula e, mesmo após a normalização da demanda por cédulas, não pretende tirar o novo valor de face e circulação.

Segundo ela, não há falta de cédulas. "O BC entende que a quantidade de cédulas em circulação é adequada, não há falta de papel-moeda."

Ao todo, são 8,32 bilhões de cédulas em circulação. Atualmente, o maior valor de face de nota de real é a de R$ 100, com 1,71 bilhão de unidades.​

Desde 2002, com o lançamento da nota de R$ 20, o BC não havia colocado novos valores de face de cédulas em circulação