3R Petroleum esclarece matéria que apontou temor de mercado a executivo de Eike

O Correio da Manhã recebeu a seguinte nota enviada pela assessoria de imprensa da 3R. Como é praxe do jornal, publicamos na íntegra a posição da empresa, sendo acompanhado por uma nota da redação:

A 3R Petroleum repudia a matéria “Ex-executivos do grupo X levam temor ao mercado de óleo e gás”, publicado em 15 de janeiro. Diferente do que foi dito, a empresa esclarece que:

1 - O atual presidente da 3R Petroleum nunca trabalhou no Grupo X e não foi fundador nem sócio da Georadar, tendo ocupado nesta última empresa por alguns anos o cargo de presidente contratado. O executivo é citado em algumas ações trabalhistas contra a Georadar como parte reclamada enquanto exercia sua função de administrador da empresa.

2 - Não procede a informação de que a empresa não ofereceu garantias. A 3R Petroleum tem participado do programa de desinvestimento da Petrobras em conformidade com as regras estabelecidas pelos órgãos reguladores e a Petrobras.

3 - A 3R reforça que os dados e informações referentes à proposta, ao ativo e ao processo de Desinvestimento da Petrobras, conforme Confidentiality Agreement celebrado com a Petrobras, são estritamente confidenciais.

Nota da Redação: Ao contrário do que afirmou a reportagem “Ex-executivos do grupo X levam temor ao mercado de óleo e gás”, a Starboard esclarece que:

1.É uma empresa brasileira que administra fundos e oferece serviços de reestruturação financeira para empresas, credores e investidores.

R: Isso não merece resposta porque não contesta a reportagem

2.Em relação às dívidas das investidas dos fundos que administra, a Starboard não comenta. No caso das investidas, onde cabe a publicação, as informações são devidamente divulgadas.

R: Isso não merece resposta porque não contesta a reportagem

3.A Starboard é gestora de fundos que investem na empresa que controla a Linhas de Macapá Transmissora de Energia. Os FIPs geridos pela Starboard são negócios independentes.

R: Isso não merece resposta porque não contesta a reportagem

4.As causas que levaram à paralisação dos transformadores no dia 3 de novembro ainda estão sendo apuradas e não foi encontrado qualquer indício de que o problema seja ligado à manutenção dos equipamentos pela LMTE ou a problemas por parte da gestão da companhia.

R: Isso não merece resposta porque não contesta a reportagem e já há multa aplicada. E o G1 e o JN trouxeram reportagem com relatoria da ANEEL, que aponta falhas de manutenção por parte da Starboard na LMTE.

5.Não procede a informação que o grupo Starboard tenha executivos com problemas na Justiça.

R: Esta é a única que merece resposta.

1) Gestor da Starboard, CARLOS ANDRE GAVA ROTTA (é sócio e administrador da Starboard Asset – gestora que administra os fundos que controlam a 3R Petroleum Óleo e Gás S/A) foi condenado pela CVM por manipulação de preços em operações do Banco Cruzeiro do Sul em 17/12/2019: “Condenação de Carlos André Gava Rotta e Paulo Eduardo de Mingo à multa de R$ 400.000,00, cada um, por manipulação de preços nas operações realizadas entre 29/9/2010 e 14/10/2010”.

- Documentos
- Condenação CVM Banco Cruzeiros do Sul - https://www.cvm.gov.br/noticias/arquivos/2019/20191217-1.html

2) Angra Infraestrutura (um dos fundos geridos pela Starbord): a Andrade Gutierrez foi uma das sócias do fundo (a Angra Partners informa no seu site que foi constituída em 3 de outubro de. 2006, com o nome de Andrade Gutierrez-Angra Partners Gestão De Informacões e Investimentos. Ltda.) https://www.funcef.com.br/files/release_7122006.pdf

3) Além disso, destacamos que artigos de mídia informam que Alberto Guth, sócio da Angra Partners, teria tido uma agenda apreendida pela polícia federal durante a operação Satiagraha, na qual constavam nomes de juízes e advogados ao lado de valores e porcentuais, numa alusão a possíveis pagamentos de propina.

https://istoe.com.br/15432_O+DIARIO+SECRETO+DA+ANGRA+PARTNER

https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2017/04/daniel-dantas-quer-reabrir-briga-da-brasil-telecom.html

4) Rioforte Investment Holding Brasil S/A: parte do grupo português Espírito Santo no Brasil; no mundo, a Rio Forte teve falência declarada em 2014 por corte em Luxemburgo

(https://expresso.pt/economia/tribunal-do-luxemburgo-declara-falencia-da-rio-forte=f901645).