Criação de enclave turístico no Corcovado resolve embate com ICMBIO

Criação de enclave turístico no Corcovado resolve embate com ICMBIO

Um enclave turístico no Cristo

Por Cláudio Magnavita*

No festival de fogos de palhas do Rio, ou seja, temas que mobilizam a cidade e depois evaporam, está a questão do Cristo Redentor x ICMBIO. Ao barrar o Padre Omar, reitor do Santuário, o assunto viralizou e agora caiu para segundo plano. A situação porém continua séria e a melhor formula para resolvê-la é a criação de um enclave municipal dentro do Parque da Tijuca, incluindo especificamente a ferrovia e o Santuário. Algo parecido com o Vaticano e Roma. A política do parque é mantida em 95% do território e a Prefeitura do Rio comandaria o pequeno trecho da estrada de ferro e do mirante. O turismo ganha com esta separação. Hoje a visita é limitada a uma faixa horária que elimina o acesso ao pôr e nascer do sol, mundialmente um ponto alto dessas atrações panorâmicas. É só ver, aqui no Rio mesmo. o espetáculo do pôr do sol atrás do Morro Dois Irmãos. Ao criar um entrave turístico, o Governo Federal resolve um problema crônico de embate com a Igreja e com a centenária estrada de ferro. O ministro do Turismo, Gilson Machado, foi secretário nacional de Ecoturismo do Ministério do Meio Ambiente e pode solucionar este empasse imediatamente.

 

*Cláudio Magnavita é diretor de redação do Correio da Manhã