Alerj une o Rio em uma só luta

Por Claudio Magnavita*

O papel histórico de um parlamento é dispor suas tribunas para a defesa da sua população. O que a Alerj realizou na segunda, 19 de outubro, foi histórico.

O Poder Legislativo, de mãos dadas com o Poder Executivo e a iniciativa privada, promovendo uma das maiores mobilizações da nossa história recente em defesa do Rio.

Durante duas horas e meia, com transmissão ao vivo pela TV Alerj, o próprio Governador, parlamentares estaduais e federais, o presidente da Firjan, Fecomércio, Associação Comercial, reitores, secretários de estado e prefeitos estiveram juntos a fim de buscar uma solução para a possível redução para o julgamento do STF que poderá reduzir os royalties do petróleo dos estados produtores.

O sentimento era que os agentes estariam agindo de forma isolada. No Executivo havia a construção de uma ingênua fórmula de compensação pilotada pelo secretário Guilherme Mercês. O discurso do deputado estadual Luiz Paulo e do federal Pedro Paulo deram uma dimensão da catástrofe que se anuncia.

As falas dos presidentes da Firjan, Fecomércio e do representante da Associação Comercial traduziram a necessidade de que algo precisa ser feito. E rápido.

É necessário fixar um ponto: o Rio de Janeiro repassou de impostos para União R$ 170 bilhões. Durante três anos de recuperação fiscal já mandamos R$ 450 bilhões. O Rio é viável.

*Claudio Magnavita é diretor de redação do Correio da Manhã