Polícia faz operação contra suspeitos de sequestrar helicóptero no Rio

A Polícia Civil do Rio realizou na manhã desta quarta-feira (27) uma operação nos municípios de Niterói e São Gonçalo contra suspeitos de sequestrar um helicóptero, em setembro. Segundo a polícia, o sequestro tinha como objetivo resgatar presos no Complexo de Bangu.

Os agentes cumpriram mandados de busca e apreensão em endereço de uma pessoa suspeita de ter realizado o pagamento do voo. A viagem teria custado R$ 14,5 mil.

Os policiais também tiveram como alvo Marco Antônio da Silva, o Pará, um dos sequestradores do voo e gerente do tráfico da favela do Sabão, em Niterói (RJ). Procurada, a polícia não disse quais foram os resultados da operação desta quarta.

A ação é um desdobramento da operação Águia Sempre, cuja primeira fase identificou os envolvidos no sequestro do helicóptero. Além de Pará, Khawan Eduardo Costa Silva é suspeito de ter participado do crime.

Segundo a Polícia Civil, os dois embarcaram na Lagoa, zona sul do Rio, e foram até Angra dos Reis (RJ). Na volta, tentaram obrigar o piloto Adonis Lopes a direcionar o helicóptero para o Complexo de Bangu.

Os sequestradores não sabiam, porém, que além de fazer voos privados Lopes é policial civil. Quando já estava voando, o policial fez uma manobra para pousar em um batalhão da Polícia Militar e tentar impedir a continuidade do sequestro.

Os bandidos, no entanto, perceberam a estratégia, agarraram Lopes e começaram a lutar com o piloto enquanto o helicóptero estava no ar. Os suspeitos desistiram do plano quando perceberam que a aeronave poderia cair.

Eles então mandaram o piloto seguir para Niterói, onde saltaram próximo a uma comunidade controlada pelo Comando Vermelho, segundo a polícia.

De acordo com as investigações, entre os detentos que seriam resgatados, estavam três líderes da facção: Marcinho do Turano (Márcio Gomes de Medeiros Roque), Cabeça do Sabão (Carlos Vinícius Lírio da Silva) e Benemário (José Benemário de Araújo). Os três, segundo a polícia, apareceram em "movimentação atípica" em filmagens de dentro do presídio.