MP investiga OS Instituto dos Lagos Rio por desvio de verbas

A Operação Pagão, do MP-RJ, foi deflagrada nesta quinta-feira (25) para cumprir sete mandados de prisão e 14 de busca e apreensão contra 12 pessoas denunciadas por organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro.

Por meio do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção, a operação conta com o apoio do Ministério Público de São Paulo e tem o objetivo de prender integrantes da organização social de saúde Instituto dos Lagos Rio. Os mandados foram cumpridos no Rio de Janeiro, Petrópolis e em Itaboraí, além de São Paulo e em Barueri.

Os alvos são acusados de desviar R$ 9,1 milhões dos cofres públicos estaduais, de um total de R$ 649 milhões que o Instituto teve empenhados em seu favor entre 2012 e 2019. A OS geria unidades do Rio, mas, de acordo com a investigação do MP-RJ, ela não tinha aptidão para assinar contratos de gestão com o estado, tendo forjado sua capacitação técnica com atestados técnicos falsos.

“O desvio de dinheiro público se dava com o pagamento de valores superfaturados em favor de sociedades empresariais, sob o pretexto da aquisição de produtos ou terceirização de serviços necessários ao atendimento das unidades de pronto atendimento (UPAs) e hospitais administrados pela OS. A ação narra que as contratações de serviços e as aquisições eram direcionadas para empresas pré-selecionadas, controladas ou previamente ajustadas