Paes e Crivella vão em busca de 3,3 milhões de eleitores no Rio

Os candidatos que irão para o segundo turno da disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos) e Eduardo Paes (DEM), vão buscar agora 3,3 milhões de eleitores. Esse é o número de pessoas que não compareceram às urnas, votaram branco ou nulo ou que escolheram outros candidatos no primeiro turno da eleição.Segundo turno no Rio de JaneiroSegundo turno no Rio de Janeiro

O ex-prefeito Eduardo Paes ficou na primeira colocação no primeiro turno, com 974,8 mil votos (ou 37,01% dos votos válidos). “Essa cidade precisa de gestão, de alguém que dê solução aos problemas que os cariocas enfrentam. Vou buscar o apoio de todos os cariocas, conversar com todos eles, sejam eles no campo ideológico à direita ou à esquerda”, disse Paes.

Já o atual prefeito Marcelo Crivella obteve 576.825 votos (21,9% dos votos válidos). “Às vezes, o candidato vai ao segundo turno com 30%, 35%, mas não votando nele tem 70%, 65%. É esse eleitor, que não votou nele, que o adversário vai buscar e ele também. E é isso que nós vamos ver agora, no segundo turno, que vai ser eletrizante”, disse Crivella.

O primeiro foco dos candidatos está nos votos recebidos por outros candidatos, que são aquelas pessoas que decidiram (ou puderam) ir às urnas e não quiseram votar em branco ou nulo.

Votos

São 1,08 milhão de eleitores, que votaram em Martha Rocha, do PDT (297,7 mil); Benedita da Silva, do PT (296,8 mil); Luiz Lima, do PSL (180,3 mil); Renata Souza, do PSOL (85,3 mil); Paulo Messina, do MDB (77,1 mil); Bandeira de Mello, da Rede (65,3 mil); Fred Luz, do Novo (46,2 mil); Glória Heloiza (13,8 mil); Clarissa Garotinho, do PROS (12,2 mil); Suêd Haidar, do PMB (3,8 mil); Cyro Garcia, do PSTU (3 mil); e Henrique Simonard (589 votos).

Mas há também a possibilidade de convencer 627,1 mil eleitores que, no primeiro turno, não se viram representados por qualquer candidato e decidiram votar em branco ou nulo. Por fim, há ainda 1,59 milhão de pessoas que não quiseram ou não puderam se deslocar até sua seção eleitoral para escolher o próximo prefeito.