Pin It

Por Marcelo Perillier

“Eu quero é botar meu bloco na rua. Gingar, botar para ferver. Eu quero é botar, meu bloco na rua. Brincar, para dar e vender”. O carnaval já chegou no Rio e, com ele, os festejos nas ruas da cidade. 

Com uma programação extensa, haverá blocos da zona norte à zona sul, passando pela zona oeste e centro. Este ano, a Prefeitura autorizou 441 desfiles de 387 blocos, 11% a menos que em 2019. Já os megablocos Chora Me Liga (15/02), Bloco da Preta (16/02), Cordão do Bola Preta (22/02), Frevo da Lud (25/02), Bloco da Anitta (29/02) e Monobloco (1º/03) vão desfilar na Rua Primeiro de Março ou na Avenida Presidente Vargas.

Um dos principais palcos do carnaval carioca, o Sambódromo recebeu uma repaginada significativa para receber os desfiles das escolas de samba dos grupos especiais, série A e mirins. A reforma mobilizou 200 funcionários da Riotur, RioUrbe e Rioluz, para atender exigências do Corpo de Bombeiros e Ministério Público. Terça-feira (11), o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, o prefeito Marcelo Crivella e o presidente da Riotur, Marcelo Alves, vistoriaram o Sambódromo e gostaram do que viram.

- O Sambódromo está nas melhores condições das últimas décadas. Nós pintamos e reformamos 36 mil metros quadrados de arquibancadas, trocamos 89 quadros elétricos e 500 refletores. O Sambódromo está hoje muito mais iluminado, muito mais seguro, muito mais confortável – afirmou Crivella.

Esta foi a segunda vez que o ministro do Turismo visitou o espaço. A primeira foi em 13 de dezembro de 2019, quando ele garantiu o financiamento dos recursos para as obras. Foram R$ 8,1 milhões, que resultaram também na troca de toda a sinalização de incêndio e pânico.

– É um prazer retornar ao Sambódromo. Estive aqui no início das obras. É um Sambódromo com segurança, para que a população possa curtir este momento ímpar, que é o Carnaval no Rio de Janeiro. É o Governo Federal, em parceria com a Prefeitura, entregando uma obra muito rápida, eficiente e muito bem feita. O povo ganha do Rio de Janeiro com essa reforma ampla, que nunca houve na história do Sambódromo – afirmou o ministro.

Além dessas reformas, o setor 13 da Marquês de Sapucaí terá uma área especial destinada a pessoas com deficiência (PCDs) para os cinco dias de desfile, incluindo o das Campeãs. Serão 300 lugares por dia, próximos à pista. Ao todo, 1.500 convites serão distribuídos gratuitamente e os contemplados poderão levar um acompanhante.

Recorde

Para evitar confusões nos blocos, a Riotur afirma, em nota, que, em diálogo com as associações de moradores, acertou a retirada dos desfiles do interior dos bairros, “melhorando a mobilidade dos que não participam da festa”.

Para este ano, por exemplo, haverá multa para os blocos não autorizados a desfilar. O valor mínimo será de R$ 1.300, dependendo da quantidade de lixo recolhida pela Comlurb após o festejo. A fiscalização será feita pela Secretaria Municipal de Eventos, responsável pela Operação Carnaval.

A Riotur espera que dois milhões de pessoas passem o carnaval no Rio, o que seria um número recorde para esta época do ano. Segundo com dados da Hotéis Rio, mais de 80% dos quartos estão ocupados.