Pin It

Por Ive Ribeiro

Carnaval é sinônimo de diversão para adultos e criança, período para as famílias aproveitarem os dias de folia, curtindo os bailes e blocos com tranquilidade. Para que isso aconteça sem transtornos, pais e familiares devem, no entanto, estar atentos e tomar alguns cuidados para garantir que tudo fique bem neste período.

Perda da criança no meio da multidão e problemas de saúde são algumas das dores de cabeça que podem ocorrer, principalmente em lugares com grande agitação e movimentação.

Helder Souza, coordenador do serviço de pediatria do Hospital Municipal Rocha Faria (HMRF), faz um importante alerta para as crianças que gostam de brincar o carnaval e não param um minuto, nem na hora da alimentação:

- Nesse momento, a criança precisa estar parada para mastigar e não engasgar – ressalta o médico. O adulto que estiver acompanhando a criança precisa estar atento a este fato, pois o engasgo pode apresentar risco de vida e provocar asfixia e sufocamento.

A hidratação e a proteção solar são outros fatores essenciais para garantir tranquilidade no carnaval infantil. Helder alerta que as crianças têm a pele mais sensível e, por isso, é preciso sempre oferecer água e alimentos leves durante a diversão. O protetor solar deve ser retocado a cada duas horas.

– Já recebemos na emergência pediátrica do HMRF crianças desidratadas que precisaram ficar internadas no CTI. Desidratação e insolação são coisas sérias e os riscos são grandes - alertou o especialista.

Ainda segundo o pediatra, roupas e fantasias confortáveis e leves também fazem parte do pacote de cuidados com a criançada na folia.

- O calor nessa época do ano é grande. Além das roupas, os sapatos também precisam ser confortáveis para que eles fiquem à vontade, evitando que os pais não tenham transtornos durante e pós-folia - acrescentou.

Finalizando as dicas, o coordenador ressalta que o primeiro cuidado a ser tomado antes de levar crianças para lugares com aglomerações é a identificação.

- O responsável pela criança pode identificar com uma pulseira que não rasgue e não molhe. Nela, deve conter os dados necessários para que o pequeno e seus responsáveis sejam facilmente identificados.

O nome dos pais, telefones para contato e até tipo sanguíneo são algumas informações úteis. Já para quem, eventualmente, encontrar uma criança sozinha em grandes multidões, as ações devem ser de tentar manter a criança calma e procurar alguma autoridade o mais rápido possível.