Caso vai parar no Procon

O Procon-RJ anunciou a abertura de investigação para analisar a qualidade da água no estado. O presidente do Procon, Cássio Coelho, determinou prazo de dez dias para que a Cedae explique o episódio.

Caso a culpa da Cedae seja comprovada, a empresa pode ser multada em função da demora na identificação da presença da geosmina na água, bem como não haver alertado a população de forma clara. O valor da multa, informa o órgão, seria estipulado tendo por base o faturamento da companhia de saneamento.

Aos clientes da Cedae que precisram recorrer à compra de água mineral, o Procon recomenda que eles guardem as notas fiscais. Com os comprovantes e outras provas, como laudos médicos e fotos ou vídeos da água turva, é possível obter o ressarcimento.

A equipe de fiscalização estava nesta quarta-feira buscando informações em alguns bairros e nesta quinta-feira irá para outras regiões citadas pelos consumidores. Cássio Coelho informou que diante de uma situação de vulnerabilidade do consumidor, o Procon tomará as providências cabíveis.

Empresas que comercializam água mineral registraram um aumento considerável nas vendas nos últimos dias. O movimento, revelam alguns comerciantes, chegou a quintuplicar.

Brasil

Mais Artigos

Magnavita

Mais Artigos

Alguém precisa lembrar ao deputado que os projetos de submarino da Marinha geram empregos na sua base, o Rio. Ele, reclamando dos gastos militares para defender a nação, fica mudo com os R$ 1.2...

Especialistas na área de reprodução apostam que  uma das consequências da quarentena será uma explosão de bebês no mundo, especialmente no Brasil. Apesar do medo, nunca os casais estiveram tão juntos e sem...

O vereador Felipe Michel demostrou que manda mesmo no setor de eventos da prefeitura. Depois do editorial do Correio da Manhã, reuniu o setor no Campo Olímpico de Golfe (sempre lá, as maiores...

Rio de Janeiro

Mais Artigos

Economia

Mais Artigos

Cultura

Mais Artigos

Saúde

Mais Artigos

Correio Expresso

Mais Artigos