Pin It

Na manhã de hoje (15) o presidente da Cedae, Hélio Cabral afirmou que a partir da semana que vem o gosto e o mau cheiro nas águas fluminense já estarão sanadas. O presidente da companhia ainda fez questão de pedir desculpas à população pelos transtornos.

Segundo Hélio, a companhia havia descoberto a presença da geosmina, um tipo de alga, foi detectada na sexta-feira (10), após isso, a empresa fez a compra do carvão ativado para evitar que a alga se prolifera-se. “A gente conseguiu diagnosticar e prognosticar e iniciar o processo de implantação”, alegou. Ainda na coletiva, o presidente destacou que a água fica com gosto e cheiro de terra, contudo sem fazer mal à saúde.

Para que o problema não volte a acontecer, Hélio afirmou que o Guandu terá o carvão em estoque e dentro de 24h as águas que saírem da reserva já estará completamente limpa. Porém a companhia não pode afirmar em quanto tempo a água de qualidade chegara as casas: "isso vai depender muito do quanto as casas estão com suas reservas de águas cheias. Uma casa que esteja com a sua caixa d'água cheia, vai ser preciso esperar toda a água sair para entrar a nova".

Hélio também salientou que o grande problema que trouxe as algas para dentro das águas foi o equipamento antigo encontrado no Guandu: "Apesar de estar produzindo água de qualidade, a gente entendeu que precisava fazer uma modernização. Em dois ou três anos teremos um Guandu moderno e atualizado”, explicou Cabral, ressaltando que estão previstos investimentos de R$ 713 milhões pela companhia até 2022.