Coluna Magnavita: Cadê a Primeira Dama?

Cadê a Primeira Dama?

Muitas perguntas sobre a ausência total da Primeira Dama do Estado do Rio, Helena Witzel, nas ações sociais ligadas às comunidades carentes afetadas pela Pandemia.

O contraste com o trabalho da Maria Lucia Horta Jardim, esposa do ex-Governador Pezão, com a atual é gritante. Nesta hora, já estaria mobilizando recursos da Loterj, convocando as esposas dos Prefeitos e agindo para assistir as comunidades carentes e instituições filantrópicas.

A atual é figura onipresente na agenda festiva, como foi o caso no Carnaval, coordenando pessoalmente o super camarote e até a lista de convidados.

Se Helena Witzel tem atuado na área social é um erro a estrutura de Comunicação não divulgar e deixar a sua imagem associada apenas ao lado festivo.

Missionária

Já no município, a discreta e atuante Sylvia Jane Crivella está trabalhando muito nesta crise.

Recolhe doações, coordena o alojamento do pessoal de rua e desenvolve um programa social com o apoio de uma rede de dedicadas colaboradoras.

O trabalho missionário esta no seu DNA e considera ser primeira dama no Rio uma missão para ajudar os mais pobres.

Brasil

Mais Artigos

Rio de Janeiro

Mais Artigos

Economia

Mais Artigos

Internacional

Mais Artigos

Cultura

Mais Artigos

Saúde

Mais Artigos

Política

Mais Artigos

Magnavita

Mais Artigos

Corre nos grupos de WhatsApp dos deputados algumas figurinhas que ajudam a quebrar o azedume. Em uma, Witzel coloca a faixa de governador em Tristão e, em outra, engraxa os sapatos do sócio.

Mais Notícias

Mais Artigos

A Prefeitura do Rio fez um verdadeiro milagre ao comprar 306 respiradores e 500 monitores da China para ajudar os hospitais municipais no combate ao coronavírus

O Clube Militar repudia enfaticamente o despacho exarado ontem pelo Ministro Celso de Mello, do STF, no inquérito que apura denúncias do Ex-Ministro da Justiça e Segurança Pública contra o...