Por Ivan Martínez-Vargas (Folhapress)

A maior parte dos brasileiros acredita que o crescimento econômico chinês é uma coisa boa para o Brasil, segundo levantamento anual feito pelo Pew Research Center em 34 países.

Neste ano, 55% dos brasileiros entrevistados pelo centro de pesquisas americano disseram que o crescimento chinês é bom para o Brasil. Em 2014, apenas 39% pensavam dessa maneira. Para 59% dos brasileiros, o investimento chinês no Brasil é uma coisa boa para o país.

De modo geral, 51% dos brasileiros disseram ter uma visão favorável da China, contra 27% que a veem negativamente. 

O Brasil é o 9º país com a melhor visão sobre os chineses entre os 34 pesquisados. A Rússia, com 71%, lidera na percepção positiva, enquanto o Japão tem a pior percepção (85% veem a China negativamente).

Seis em cada dez acreditam que a China tem influência na economia doméstica brasileira, enquanto sete em cada dez pensam o mesmo em relação à influência dos Estados Unidos no Brasil, segundo o levantamento.

Essa influência chinesa é vista como positiva para a economia do Brasil por 47% dos entrevistados no país (16% a veem como negativa). Os resultados brasileiros estão alinhados com os da maioria da população dos 16 países pesquisados nesse quesito.

Ao serem questionados sobre a influência americana, 44% dos entrevistados brasileiros disseram que era positiva para a economia, contra 23% que a viram como negativa. 

O resultado foi o mais favorável para os americanos entre os países da América Latina pesquisados. No México e na Argentina, a influência dos EUA é vista como negativa por 46% e 55% dos ouvidos pelo Pew Research Center.

Apesar da boa imagem dos chineses, são os Estados Unidos que são percebidos como a maior potência econômica mundial pela maior parcela dos brasileiros. São 38% os que veem os americanos no posto, ante 21% que enxergam a China na posição.

Quando questionados com qual país é mais importante ter forte laços econômicos, 49% dos brasileiros escolheram os EUA, e 29%, a China. 

O Pew Research Center também perguntou sobre o crescente poder militar chinês à população de 18 países. Dos brasileiros consultados, 49% dizem ver o dado como negativo e 24%, como positivo. Nessa área, o Brasil é o 7º país menos preocupado com o poder militar da China.