Pin It

por Guilherme Cosenza

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) afirmou em sua coletiva nesta terça-feira (21) que a Vale e a empresa de consultoria TÜV SÜD emitiam falsas declarações de condição de estabilidade (DCE). O Ministério ainda afirmou que as falsas declarações foram para pelo menos dez barragens, classificadas como "Top 10", entre elas estava a B1, barragem que se rompeu em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no dia 25 de janeiro de 2019, matando 270 pessoas.

Dessa forma o MP denunciou Fabio Schvartsman, ex-presidente da Vale e mais 15 pessoas da empresa TÜV SÜD pelo crime de homicídio doloso, quando há intenção de matar. "Era uma lista mantida sigilosamente, internamente, pela Vale. Uma lista de barragens em 'situação inaceitável de segurança'. Era assim que eram reconhecidas ao menos essas dez barragens geridas pela Vale", disse coordenador do núcleo criminal da força-tarefa do Ministério Público, William Garcia Pinto Coelho.

Ainda segundo consta na investigação do MP, as investigações já são ocultadas desde novembro de 2017.